História e Valores

Como tudo começou...

A marca Lace d’Or nasceu na cidade de Guimarães e está a desenvolver uma gama de artigos pensados para oferta.

Aproveitando as oportunidades abertas pelo aumento do turismo em Portugal e, paralelamente, tirando partido das competências da região em que estamos sediados, decidimos empreender um projecto na área dos acessórios de moda, entre outros, que incorporassem elementos da cultura portuguesa. Começamos com lenços estampados e pretendemos evoluir para outras peças fáceis de usar, tais como bolsas e sacos, acessórios para cabelo, t-shirts e joalharia.

Nesta primeira colecção, que intitulamos “Renda e Poesia”, estampamos os lenços com renda que tem muito a ver com a vivência portuguesa ligada ao mar e às mulheres dos pescadores que foram pioneiras no fabrico da renda, pela similitude com as redes de pesca e para ocupar os tempos de espera.
Como elemento da cultura portuguesa elegemos a literatura, especialmente a poesia, pela riqueza dos nossos autores.

Pretendemos dar aos nossos produtos um toque de sofisticação e de diferenciação. O design é português e as peças são fabricadas em Portugal.

História e Valores

Os nossos valores...

A Renda

Os primeiros pontos de renda começaram a ser tramados em Portugal, no reinado de Dom Sebastião.
Durante muito tempo, esta arte só era praticada dentro de conventos, apenas servia para ornamentação das igrejas e vestes eclesiásticas. Com o avançar dos anos, foi praticada tradicionalmente nas cidades dos pescadores, Vila de Conde e Peniche.

As mulheres dos pescadores começaram a dedicar-se a esta arte durante o tempo de espera em que os maridos e filhos estavam em alto mar, uma forma nobre de aguardar a chegada.

O desenho é feito num cartão, para este é transposto através de picotados deixados através de alfinetes espetados. Sobre uma almofada redonda, suportada por uma canastra se vergavam as rendeiras.

A criatividade surgia muitas vezes da estilização de objetos naturais como flores.

As peças eram de tal forma trabalhadas e de valor elevado que só era permitido o uso a pessoas de alta nobreza.
Desde muito novas, ensinavam as meninas a rendilhar para que nunca desaparecesse esta arte.

Em Peniche, cidade dos pescadores, foi fundada, em 1887, a primeira escola- Escola Industrial D. Maria Pia – que deu continuidade ao trabalho perfeito e invejado que impulsionou a criação e preservação das rendas.

“Onde há redes, há rendas”.